Alteração no comportamento das crianças pode ter muito a ver com a visão

Tem sido crescente o número de mães com queixas de filhos hiper agitados, muitos até sem interesse nas salas de aula. Porém, o que os pais ainda não sabem, é que diversas vezes o comportamento hiperativo da criança tem a ver com a visão.

Após se consultar com um neurologista e não haver nenhuma alteração, muitos pais se perguntam o que fazer? Neste caso o próximo passo será o exame oftalmológico.

Acreditem… o resultado, inúmeras vezes, mostra que nestas crianças o vilão desse comportamento é o que chamamos de altas hipermetropias. As altas hipermetropias são detectadas no exame de refração, que diagnostica a necessidade ou não do uso dos óculos.

Em sua grande maioria, os recém-nascidos são hipermetropes, mas com o crescimento dos olhos, essas hipermetropias tendem a desaparecer. No entanto, existem casos em que isso não acontece, levando a criança a permanecer com uma visão “borrada” para longe. Nestes casos, a visão “limpa”, com foco nítido, requer dela um esforço visual acomodativo intenso, tornando-se trabalhoso para a criança, que encontra na dispersão a fuga para esse esforço, demonstrando interesse por atividades que não precisam de tanto esforço como correr e pular. Muitas delas, inclusive, não conseguem permanecer sentadas em sala de aula.

A boa notícia em relação as altas hipermetropias é que com uso de lentes corretivas (óculos ou lentes de contato) nossas crianças se acalmam e a vida dos pais pode voltar ao normal.

Dra Claudia Maestri
MD em oftalmologia